Como a UNICEF tem usado vídeogames para ajudar crianças? Hoje vamos compartir um exemplo que mostra como a inovação pode acontecer nos lugares menos esperados.

No ano passado, UNICEF desafio a agência publicitária Tribal Worldwide à desenvolver um projeto para o Dia Mundial das Privadas com o objetivo de expor ao publico os riscos associados à falta de acesso à um banheiro limpo. Qual foi a solução da agência? Um jogo digital!

WC Trek foi concebido para comemorar o primeiro Dia WC Mundial da ONU e para destacar o fato que há 2,5 bilhões de pessoas no mundo sem acesso a um banheiro seguro e higiênico. O objetivo do projeto foi criar uma ferramenta que educasse os usuários do jogo sobre o impacto desta questao em populações vulneráveis ​ao redor do mundo, e com isso avançar a “busca de limpos e seguros #toilets4all”.

A Tribal Worldwide identificou o videogame como o meio de comunicação ideal para realmente engajar jogadores e empenhá-los à explorar e compreender esta questão melhor. O jogo foi projetado para levar os usuários por uma série de obstáculos que revelam um por um os diversos riscos e problemos com acesso à banheiros sanitários em grande parte do mundo .

Toilet paper serves as the “life force” for Toilet Trek Players. Credit: Business Insider
Página de abertura para jogadores de Toilet Trek, jogar o jogo aqui http://www.unicef.org/toilets4all/ “. Crédito: http://www.unicef.org/toilets4all/

O resultado? O “sucesso crazy” do produto, segundo o direitor do projeto por parte da UNICEF. Alguns dos elementos que contribuíram ao sucesso do WC Trek incluem:

  • Um tema do jogo novo e diferente (banheiros) que que provocou conversa e brincadeiras entre usuários
  • O jogo é tão divertido e fácil de jogar no celular quanto no computador
  • O jogo é desafiador o suficiente para manter jogadores interessados sem que eles eles desistem prematuramente
  • Os jogadores não percebem que estão aprendendo ao jogar; o jogo presenta problemas sérios sem comprometer a diverção de quem esta jogando
  • O jogo conta com a coordenação motora dos olhos e das mãos, melhorando estas habilidades junto as de percepção visual–espacial conforme o usuário segue jogando
  • O jogo foi concebido como lo-fi, portanto é acessível para as pessoas do mundo todo sem requerer muita largura de banda
  • Mantendo o design simples permitiu que o projeto fosse completado sem atrasos
  • Com um orçamento limitado, o desenvolvimento de algo simples e engajador funcionou muito bem
  • Sendo que “retro” esta na moda, um jogo de tecnologia mais simples e design menos chamativo foi fundamental ao sucesso

Esperamos que algumas das lições aprendidas sobre o que funcionou com Toilet Trek será útil para as  estudantes que trabalham com a UNICEF e EA para criar jogos de vídeo educativo no Brasil (leia mais sobre esse projeto aqui​).

Você pode ler mais sobre o jogo no Business Insider aqui.

Jennie Bernstein
Chefe do inovação​ para o jogo digitais no Brasil
Equipe de inovação, UNICEF NYHQ

gray-line

Histórias parecidas:

What can video games teach us?

UNICEF and Electronic Arts introduce São Paulo students to game design contest

Print This Story